Rachel, filha de uma dinamarquesa com um negro, torna-se a única sobrevivente de uma tragédia familiar, depois de uma fatídica manhã no terraço de um prédio em Chicago. Forçada a se mudar para uma cidade estranha, tendo como tutora sua severa avó afro-americana, Rachel é obrigada a viver, pela primeira vez, em uma comunidade de maioria negra, na qual sua luminosa pele clara, seus extraordinários olhos azuis e sua beleza fazem com que seja alvo de constante atenção, por onde quer que passe. Enquanto cresce nesse ambiente e tenta engolir a dor, ela começa a entender como o mistério e a tragédia de sua mãe podem estar ligados à sua própria e oscilante identidade. Criada até então para pensar em si mesma como branca, agora se espera de Rachel que "aja como negra". E, nesse meio-tempo, a jovem continua se perguntando por que tem de ser definida por sua pele e que motivo justifica que rótulos digam mais sobre o que ela é, em um mundo que insiste em classificá-la tanto como negra quanto como branca. A menina que caiu do céu é um emocionante e perspicaz retrato de uma jovem bi-racial que precisa lidar com as concepções da sociedade sobre raça e classe.


 
Reportagem - Clique para ampliar