Ammaniti faz uma ode à futilidade da sociedade atual. Para isso, reúne celebridades, como falsos intelectuais, jogadores de futebol, escritores ganhadores do prêmio Nobel, políticos desonestos e atrizes pornôs, numa celebração ao lado de criaturas enviadas pelo próprio demônio. Tudo ocorrerá na casa do magnata imobiliário Salvatore Chiatti.

Segundo o autor, ele tenta, por meio de uma trama engraçada e criativa, fazer uma sátira da vulgaridade berlusconiana. A consequência foi um romance impressionante e impiedoso.

2˚ lugar no concurso Melhor Capa de Livro 2011 Getty Images – categoria: literatura
 
Numa planície encharcada de chuva, num lodaçal às margens de tudo, onde os campos e os rios se misturam com os galpões, as casas com gramado na frente e as concessionárias de automóveis, vivem um pai e um filho. Rino e Cristiano Zena. Unidos por um amor visceral que se nutre de prepotência e violência. Orgulhosos, convivem no dia a dia com dois sujeitos esquisitos: Quatro Queijos, que ficou sequelado depois de um acidente com fios de alta tensão, e Danilo Aprea, abandonado pela mulher e marcado pela morte da filha. Um dia, decidem que chegou a hora de darem uma virada em suas vidas. O plano é simples: arrombar um caixa eletrônico.

Os protagonistas desta fábula apocalíptica encontram-se numa noite de tempestade, repleta de fantasmas e remorsos, em que os rios transbordam e a lama parece sepultar toda esperança. Mas das trevas emerge uma menina loira que libera uma força obscura e acaba mudando para sempre o destino deles...

É justamente na escuridão das aspirações dos personagens que Ammaniti consegue colher a luz que os anima e os torna familiares, levando-nos a amá-los. Na brutalidade cega da vida ou em sua normalidade tragicômica, eles também são criaturas que buscam o próprio deus.

Um romance poderoso, uma sinfonia em que a tragédia mais profunda e o humor mais desenfreado se fundem, dando vida a um grande afresco social e determinando o ritmo de uma história que nos deixa sem fôlego até a última página.
Niccolò asked me to tell you that he saw your cover for Come Dio Comanda and he really loved it. Bravo!”

Kylee Doust
Agente de Niccolò Ammaniti
Reportagem - Clique para ampliar