Nenhum outro endereço, em qualquer época, concentrou tanta gente que, um dia, atuaria de forma tão decisiva na cultura."Para melhor entender e apreciar o fenômeno da contracultura brasileira, o Solar da Fossa deveria ir para a lâmina do microscópio." Essa tarefa foi brilhantemente cumprida pelo autor deste livro, Toninho Vaz, escritor, jornalista e ele próprio uma das figuras que contribuíram para a consolidação da imagem do Solar como símbolo da vanguarda e da efervescência cultural e política dos anos 1960. A pensão de 85 apartamentos localizada em Botafogo, no Rio de Janeiro, foi o endereço e o abrigo de poetas, compositores, jornalistas, artistas plásticos – loucos, cabeludos e "desbundados" que vinham de todos os cantos do país e encontravam ali o jardim ideal para plantar suas "folhas de sonho" e materializar verdadeiras obras de arte. Mais de quarenta anos depois, Toninho oferece nestas páginas imagens inéditas e relatos de personalidades como Caetano Veloso, Paulinho da Viola, Gal Costa, Paulo Coelho, José Wilker, Tim Maia, Betty Faria, entre outras, que divertem o leitor ao mesmo tempo em que resgatam a memória de um dos períodos mais ricos da história do Brasil.

 
Reportagem - Clique para ampliar