O escritor alemão Thomas Mann ficou mundialmente conhecido por romances como A montanha mágica e Doutor Fausto. Mas, no Brasil, pouco se fala de seus ensaios sobre literatura. Mesmo na Alemanha só parte de sua vasta obra não-ficcional foi publicada e, até hoje, não se sabe quantos ensaios ao todo ele escreveu. O escritor e sua missão reúne doze desses textos, dedicados à obra de autores alemães, austríacos, russos, franceses, ingleses e noruegueses. Escritores essenciais para o estudo da literatura mundial, como Dostoiévski, Tchekhov e Zola.

Seus ensaios sobre literatura, escritos originalmente como resenhas, perfis, homenagens, discursos e comentários, acompanham a produção de seus romances e são fluídas as fronteiras que diferem sua obra ficcional da ensaística. Em alguns momentos, o leitor terá a impressão de que o autor comenta seus próprios textos ao analisar os escritos alheios. Um livro essencial para se aprofundar não apenas na obra de escritores modernos europeus e o contexto em que foram realizados os seus escritos, mas também no próprio pensamento de Thomas Mann.


"Tenho a convicção inquebrantável de que Hitler não pode vencer a sua guerra (...) e sempre que eu digo isso nas páginas que se seguem estou sendo totalmente sincero."

Durante a Segunda Guerra Mundial, Thomas Mann dirigiu-se do exílio nos Estados Unidos a seus conterrâneos alemães, em breves discursos contra Hitler transmitidos pela rádio BBC. Mês após mês, o escritor comentou a dura realidade da guerra, procurou transmitir-lhes confiança, conclamou-os a reverter a situação e a se engajar na luta contra o nazismo. Discursos contra Hitler reúne os 58 discursos de Thomas Mann, entre 1940 e 1945, num documento único sobre sua época e que procura revelar a realidade dos campos de concentração e a política de extermínio nazista. Ainda hoje a voz de Thomas Mann vibra com força, num singular e tocante registro do conflito.

"O que nenhum ser humano com sentimento pode acreditar se não vir com os seus próprios olhos: ossos humanos, barris de cal, encanamentos de gás e crematorios."


Reportagem - Clique para ampliar